Mensagem…

A garota abaixa seu barquinho de papel na água com a mão. um navio laranja está pendurado sobre o rio Foto Premium

“Flua pela vida como se estivesse no rio lento. Sorria. Aproveite o passeio.”

 

Sugestões para desacelerar

Uma bicicleta encostada no muro

  1. Busque uma acomodação permanentemente garantida e que não dependa de pagamentos altos e regulares para manter; por exemplo, uma pequena casa totalmente paga e onde você sempre pode ficar na sua e esperar os períodos de descanso entre os empregos ou furacões emocionais;
  2. procure ter uma poupança, ou investimentos, ou caixa pessoal, para que não fiques sob pressão para trazer dinheiro todos os meses para sobreviver;
  3. livrar-se de todas as dívidas e não faça outras que possam comprometer seu estado geral;
  4. uma profissão versátil para que você possa encontrar trabalho onde e quando quiser, ou para mudar de emprego quando lhe apetecer e negociar trabalho a tempo parcial; coisas boas como enfermagem, programação ou segurança podem sempre funcionar;
  5. contas baixas e pequenas atitudes com grandes efeitos: dirija um carro velho, mas confiável, que nunca precise de conserto, apenas de manutenção; não fume nem beba, aprenda a cozinhar corretamente e faça suas refeições; aprenda a fazer um orçamento e a planejar, e faça isso partindo disso; e evite um estilo de vida caro, mesmo que tenha condições atuais para fazê-lo. Os ventos mudam;
  6. permaneça flexível e tenha a mente aberta sobre o que você pode estar fazendo profissionalmente. Dirigir empilhadeiras este ano, ensinar algo no próximo ano, escrever textos publicitários depois disso. Esses tipos de saltos não devem assustar;
  7. desista de pensar na carreira como único sentido da vida. Se você leva a sério a ascensão, esse tipo de estilo de vida construído desacelerando é inatingível. Se optar por isso, relegue-se a deixar outra pessoa a ser chefe e apenas faça sua parte. A ambição desenfreada nos causa muito sofrimento e comparações desnecessárias;
  8. decida que será feliz naquele pequeno mundo que está criando para si mesmo e que qualquer adversidade que encontrar nele será enfrentada e não evitada ou desistindo e indo embora, afinal outros obstáculos surgirão. Um pequeno oásis de paz ainda é algo possível no contexto hostil da vida neste planeta e, assim, você precisa ter uma vontade e reunir meios para mantê-lo e defendê-lo, partindo de critérios simplificados.

Fonte: pt. quora

Os Ciclos da Vida

 

Fanfic / Fanfiction Sempre Há Um Banco Vazio

“Ontem, com as folhas secas rodopiando em volta dos meus pés, pensei no que significara crescer; a sensação voltou-me nítida como uma febre…o sentimento onipresente de esperar que a vida verdadeira começasse sabendo que ela estava ali ao virar a esquina, sem saber o que viria.

Quando cheguei à adolescência a vida estava tão perto que poderia tocá-la. Nessa altura, a única maneira de aliviarmos nossas próprias ansiedades era agarrarmo-nos aos momentos importantes do presente. Baile de debutantes. Dia da formatura. Ensaios para os grandes acontecimentos que viriam mais tarde.

É como se estivéssemos sempre à espera, à espera que começasse a vida verdadeira, correndo para cada momento importante apenas para dizermos “Era só isto”?

E, no momento seguinte, olharmos em volta e notarmos que era mesmo um só aquilo, todavia, de qualquer forma, sem darmos conta, já estávamos deslizando para as décadas seguintes da nossa existência.

Até que um dia apercebemo-nos de que já não estamos mais à espera, mas estamos simplesmente vivendo. Já não dependemos mais das visitas, da louça fina guardada para os momentos adequados, das férias, do Natal ou de um novo emprego. Estamos agora vivendo a cadência calma do nosso coração.

São outros tempos.

É isto a nossa vida: é uma estranha volta do mar, à vezes cansados, outrora sentindo-nos agradáveis, se o horizonte nos parecer soalheiro, raiado de rosa e refletir o dourado calmante das experiências somadas, mesmo depois de todos aqueles anos de espera e mesmo percebendo pouco que ela, a vida, seguia desde o início um curso imperceptível.”

Anna Quindlen

Revivência

adrie

(…) “E assim é que o tempo encena outra vez os espetáculos mais curiosos e mais sinceros do coração humano. O passado surge novamente, entrelaçando todos os seus sonhos e aspirações, e sobre sua prata banhada ainda se vê, intacta, a oxidação da falsidade. Dessa forma, um homem pode chegar a uma compreensão muito mais profunda de si mesmo, a uma percepção que em sua juventude estava fora de seu alcance. Quando contemplamos nossa velha aldeia a partir de uma montanha distante, por mais que os detalhes daquela época tenham se apagado da memória, o significado de ter ali vivido se torna claro e nítido. Até mesmo o buraco que havia no chão da praça, outrora tão importante, agora cheio de água da chuva, reluzindo ao sol, assume uma beleza simples e óbvia.”

in Cavalo Selvagem, de Yukio Mishima.

 

Guia para viajar pelas florestas dos sentidos

adriana foto

O que é o caminho? anúncio de partida escrito em folhas que o pó desenhou.O que é a árvore? lagoa verde cujas ondas são o vento. O que é o vento? alma que não quer habitar o corpo. O que é a morte? carro que leva do útero da mulher ao útero da terra. O que é a lágrima? guerra perdida pelo corpo. O que é o desespero? descrição da vida na língua da morte. O que é o horizonte? espaço que se move sem parar. O que é a decepção? espinho que sangra nas lembranças. O que é a coincidência? fruto na árvore do vento caindo entre as mãos sem se saber. O que é o não sentido? doença que mais se propaga. O que é o medo? paralisia que avança. O que é a memória? casa habitada só por coisas ausentes. O que é a poesia? navios que navegam, sem portos. O que é a metáfora? asa aliviando no peito das palavras. O que é o fracasso? musgo boiando no lago da vida. O que é a surpresa? pássaro que escapou da gaiola da realidade. O que é a história? cego a tocar tambor. O que é a mocidade? chegada barulhenta. O que é a velhice? partida silenciosa. O que é a sorte? dado na mão do tempo. O que é a linha reta? soma de linhas tortas invisíveis. O que é o umbigo? meio caminho entre dois paraísos. O que é o tempo? veste que usamos sem poder tirar. O que é a melancolia? anoitecer no espaço do corpo. O que é o sentido? início do não sentido e seu fim.

(POEMAS, de ADONIS, Ali Ahmad Said)


Página 1 de 16312345...102030...Última »